VARIEDADES

CTG A voz dos Pampas completa 50 anos e primeiro patrão conta como tudo começou


  • Por
  • 26/06/2018 - 10h36
Primeiro patrão Waldomiro Hampel e atual patrão Anderson Teloeken, no jornal A Tribuna contando a história do CTG A Voz dos Pampas (Paula Kroth/AT)

Waldomiro Hampel, com 81 anos, o primeiro patrão do CTG A Voz dos Pampas, esteve em A Tribuna, acompanhado do atual patrão Anderson Teloeken, contando a história da entidade.
Era o ano de 1968, na Colônia Municipal, Linha Caimento, existia um campo de futebol na propriedade de Waldomiro Hampel, onde a gurizada se reunia para jogar futebol “Aquilo não tava dando lucro pra gurizada, eles gelavam a cerveja na fonte de água, mas não tinha resultado, levavam prejuízo. Então eu aceitei o convite deles e comecei a cuidar”.
Naquela época a comunidade local tinha um clube esportivo, mas não tinha sede, então foram feitas reuniões, para construir a sede. “E muitos concordaram, mas os que estavam cuidado do clube caíram fora não quiseram, então o meu vizinho Pompilio de Oliveira falou ‘vamos fazer um CTG’, mas não sabíamos nada de CTG” diz Waldomiro.
Nesse período Waldomiro tinha juntado um dinheiro do jogos de futebol “Eu tinha 1.500 cruzeiros novos, ai os guris falaram, vamos dar isso para iniciar o CTG. Mas não sabíamos como fazer. Então Maximiano Bogo e Olivio Dorneles, acompanhados do tenente Martins explicaram para nós como funcionava. E foram lá em casa, fizeram a primeira Ata dentro da cozinha da minha casa e eu fui escolhido patrão. Mas eu não sabia de nada, quem me dava explicação era o Bogo, o Dorneles e o tenente Martins” conta Waldomiro.
Waldomiro diz que com os 1.500 cruzeiros novos foi comprada a madeira para fazer o CTG e a comunidade se juntou “Fizemos um galpão de fogo, era um galpão cumprido, tinha cozinha, copa, era coberto de capim e tinha uma cancha de bocha do lado de cima. E era uma festança, um movimento, cada semana nós íamos juntando o dinheiro. E em 29 de junho de 1968 foi inaugurado o CTG. Quem fez a inauguração foi Armindo Bratz” relembra Waldomiro.
Grandes bailes animavam o público no CTG A voz dos Pampas “Nós fazíamos grandes bailes, trazíamos Os Três Xirus, nós tínhamos músicas nossas de lá, músicos que vinham de Cruz Alta. Teve uma feita que teve uma briga e dois foram faqueados, aí tivemos que encerrar o baile quem tocava naquela noite era “Os metralha” mas nunca houve nada” diz.
Segundo Waldomiro uma das grandes diferenças daquele tempo para os dias de hoje, é a falta de jovens “Não tem mais gurizada, não existe, até pra formar uma dança é ruim. E antigamente era festa e festa” afirma Waldomiro.


PRIMEIRA PATRONAGEM
A primeira patronagem do CTG A Voz dos Pampas teve como patrão Waldomiro Hampel e a patroa Veleda e membros da patronagem Herberto Rodhe, Armindo Henzel, Pompilio de Oliveira, Antônio Liberalesso, Leopoldo Rentz, Armindo Retzlaff, entre outros.

Festa de aniversário do CTG A Voz dos Pampas será neste domingo

Neste domingo, 1º de julho, o CTG A Voz dos Pampas está comemorando 50 anos de fundação. E para isto foi preparada uma grande festa com início às 10 horas com culto crioulo, às 11 horas terá homenagem e memorial às ex-prendas e peões, e aos ex-patrões.
Ao meio-dia terá almoço e deve ser levado pratos e talheres. Às 13h30min tem pré-estreia da invernada artística do CTG. E às 14 horas começa a festa com Garotos do Fandango, a entrada é livre.

PUBLICIDADE
').insertAfter(ps.get(i - 2)); }