REGIÃO

Casarin lamenta precariedade da ERS 536 e o descaso do Estado com São Miguel das Missões


  • Por
  • 08/02/2018 - 09h08
O chefe do Executivo disse que cansou das tantas vezes que fez contato com o governo, buscando uma solução para um trecho de 16 km da rodovia estadual (Banco de dados/AT)

Preocupação, situação vergonhosa, descaso e falta de vontade política. Essas foram algumas das palavras do prefeito de São Miguel das Missões, Hilário Casarin, direcionadas ao Governo do Estado em entrevista ao programa Aldeia Global, da Rádio Sepé Tiaraju, devido à precariedade da ERS 536, rodovia que liga o município com a BR 285.
O chefe do Executivo disse que cansou das tantas vezes que fez contato com o governo, buscando uma solução para um trecho de 16 km da rodovia estadual. “Não tem como entender esse descaso com a nossa cidade que é a quinta maior produtora de soja do Rio Grande do Sul e que tem um Patrimônio Histórico da Humanidade que pode impulsionar o turismo da nossa região”, declarou Casarin.
O prefeito lembrou que se passaram dois governos e nada foi feito na recuperação de ao menos 8 km da parte mais danificada da rodovia. “O ex-governador Tarso Genro e o governador José Ivo Sartori estiveram em São Miguel das Missões e viram de perto a dificuldade enfrentada pelo município. Também estiveram aqui ministros e outras lideranças políticas que tiraram fotos, mas nada fizeram. Ficamos somente na promessa. Isso é vergonhoso”, lamentou Casarin.
Conforme o administrador, a prefeitura chegou a efetuar uma operação tapa-buracos na rodovia do Estado com recursos próprios para facilitar a vida dos produtores que escoam a produção e dos turistas que vão a São Miguel das Missões. “Essa inércia do Governo Federal que prioriza investimentos ao Nordeste e esquece as Missões e da própria Secretaria Estadual de Turismo que prioriza recursos a outras regiões do Rio Grande do Sul refletem o descaso com a nossa cidade e região. Talvez seja porque São Miguel tenha apenas um pouco mais de 5 mil eleitores. Acredito que está na hora das lideranças da região se mobilizarem e ajudarem São Miguel que tem o maior ícone da região, as Ruínas de São Miguel que poderá impulsionar o desenvolvimento de nosso turismo”, disse.
Outro ponto levantado pelo prefeito foi a falta de diálogo do governo quando fez o novo trevo na BR 285 sem ouvir as lideranças da região. “Fizeram um trevo que é uma vergonha, mal planejado, com vários problemas, onde vilas e empresas ficaram de lado. Teria sido melhor se fosse mantido o trevo antigo e que esse dinheiro fosse utilizado na recuperação da rodovia de acesso a São Miguel das Missões. Penso que foi dinheiro desperdiçado. A região precisa se unir e repensar muitas questões”, finalizou Casarin.

PUBLICIDADE
`).insertAfter(ps.get(i - 2)); }