PONTOS MISTURADOS

Verbo fazer sozinho exprimindo ideia de tempo


  • Por
  • 18/09/2018 - 09h45

Hoje “fazem” oito dias que a primavera começou. Está errada ou certa a conjugação do verbo fazer na frase? Errada. Errada porque “fazem” deve passar a “faz”.
Como explicar por quê? Assim: o verbo fazer, quando indica tempo, é impessoal, ou seja, a forma conjuga dele fica sempre no singular. Reforçando o dito, a forma correta de “fazem”, no caso da frase acima, é “faz”. Hoje “faz” oito dias que a primavera começou. Eis mais alguns exemplos corretos: Faz dois dias que escrevo um poema. Faz dois meses que a campanha política está na mídia. Faz mais de dois séculos que Jesus Cristo esteve fisicamente em Jerusalém. Outros exemplos de frases com o verbo fazer indicando tempo ficam a cargo do leitor.
Verbo fazer acompanhado de outro verbo exprimindo ideia de tempo. Hoje “devem” fazer oito dias que a primavera começou. Está correta na frase a locução verbal “devem fazer” ou não está? Não está. Por que não? Porque o verbo fazer, indicando tempo, é impessoal, e por ser impessoal, passa a impessoalidade ao verbo que o acompanha, que o auxilia. O verbo que acompanha o verbo fazer é conhecido no mundo da língua em geral e no da gramática em particular como auxiliar. Locução verbal é uso de dois ou mais verbos juntos na frase.
Ainda locuções verbais com o verbo fazer indicando tempo. Sabe-se que em locuções verbais com verbo fazer indicando tempo, o verbo auxiliar fica sendo impessoal, ou seja, conjugado no singular, e o verbo fazer, o principal, fica, conforme o caso e uso de verbo auxiliar diferente, no infinitivo, no gerúndio, ou no particípio. Fica, pois, invariável, ou seja, numa dessas três formas nominais. Exemplos: Hoje deve fazer oito dias que a primavera começou. Hoje está fazendo oito dias que a primavera começou. Hoje tem feito oito dias que a primavera começou. Recorda-se que fazer é infinitivo, fazendo é gerúndio e feito é particípio. Gerúndio, em qualquer verbo, de qualquer verbo, termina sempre com ndo. Tanto no singular, quanto no plural: estou lendo, estamos lendo.
Verbo haver com o sentido de existir. O verbo haver, com o sentido de existir, gosta de complicar com quem fala e com quem escreve, pelo menos com muitos que falam e que escrevem. Por quê? Porque ele, o verbo haver com o sentido de existir, é invariável na conjugação, ou seja, fica sempre no singular. Exemplo errado: Houveram muitos problemas durante a campanha política no Brasil nesses dois últimos meses. A forma verbal incorreta “houveram”, plural, deve passar para forma verbal correta “houve”, singular.
Assim, repete-se, enfim, a lição. O verbo fazer, indicando tempo, é impessoal, fica só na terceira pessoa do singular. E o verbo haver, significando existir, também é impessoal, invariável na conjugação, fica sempre na terceira pessoa do singular. Com esses sentidos, fazer e haver podem flexionar o tempo verbal, não a pessoa. Eis quatro exemplos de frases interrogativas com o verbo haver significando existir: Há muitos problemas políticos no Brasil? Havia centenas de políticos corruptos no Brasil? Houve centenas de grandes empresários sonegando impostos no Brasil? Haverá, com a Lava Jato, centenas de políticos e empresários corruptos devolvendo aos cofres públicos o que roubaram e sonegaram e nas cadeias?

 

PUBLICIDADE
').insertAfter(ps.get(i - 2)); }