PONTOS MISTURADOS

Cartas de Cristo


  • Por
  • 27/11/2018 - 16h25

Pois Cartas de Cristo é um livro que fala sobre espiritualidade, religião e mensagem de Cristo. É um livro, sem dúvida alguma, que merece não apenas uma leitura atenta, meditada, ampliada e aprofundada, mas várias. É profundo, amplia e aprofunda como nenhum outro os saberes reais, embasados na verdade, acerca da espiritualidade, da religião [várias], de Jesus Cristo e de Deus, pregados por Jesus quando esteve, como homem e filho de Deus, na Palestina. Além de esclarecer centenas de outros fatos, esclarece o fato de Jesus Cristo ser o caminho, a verdade e a vida. Todos os como e os porquês de Jesus Cristo ser o caminho, a verdade e a vida estão no livro. Esclarece como Deus extraiu a vida de todos os seres, de todos os universos, também do Homem.
Ninguém interessado na verdade e na evolução espiritual, como também na evolução emocional e racional, deveria deixar de ler e reler o livro Cartas de Cristo – a Consciência Crística Manifestada e o livro Cartas de Cristo – Textos Complementares. O primeiro tem nove cartas de Cristo em 338 páginas. O segundo tem 17 capítulos curtos em 158 páginas. Complementa os fatos que há no primeiro.
Aliás, com o fito de despertar mais ainda a vontade de ler os livros acima citados, vale aqui a transcrição da contracapa do primeiro livro: “Durante 40 anos, Cristo purificou e desprogramou a mente de uma mulher inglesa que havia sido educada em um convento católico. No ano 2000, com a idade de 80 anos, ela começou a transcrever, sob a direção de Cristo, os ensinamentos recebidos através dos anos de contato com Ele. Vieram à sua mente as nove Cartas. Nas Cartas contidas neste livro, Cristo corrige as más interpretações de seus ensinamentos, explica as leis da existência, a origem do ego e revela os processos espirituais científicos que governam a criação da matéria. Cristo descreve a fonte de nosso ser” e mais, muito mais.
Ademais, todo aquele que os ler, reler e meditar de maneira sincera, com fome e sede de saber a verdade sobre os ensinamentos de Cristo, não se arrependerá nada, de nada; ao contrário, agradecerá muito e sempre a si por tê-los assim lidos, relidos, meditados, ampliados, aprofundados. As lições são profundas, físicas e metafísicas, humanas e divinas, exigem, portanto, paciência, tempo, boa vontade, retiro, silêncio, meditação. As recompensas das leituras das nove cartas e de seus complementos, uma vez assim feitas, são imensas, imensuráveis, são de encher de verdade a vida, a razão, o espírito. Ambos os livros, além de tudo mais, fazem evoluir de modo extraordinário quem os ler, reler e meditar, nestas quatro dimensões humanas básicas – corpo, emoção, razão e espírito –, cujas evoluções, hoje mais que ontem, e mais nestes tempos de tantas e inevitáveis transformações aceleradas na humanidade e no planeta, fazem-se necessárias, urgentes, indispensáveis. Portam méritos e mais méritos.
E, de mais a mais, os pensamentos, as palavras e as ações são energias eletromagnéticas. As energias elétricas vão, e as energias magnéticas vêm. Aquelas estão no campo das causas; estas, nos campos dos efeitos. Todas as energias que vão, voltam. E as que voltam são, às vezes, maiores do que as que vão, ou seja, os efeitos são, às vezes, maiores que as causas. Todos os seres humanos – evoluídos, menos evoluídos ou pouco evoluídos – estão dentro das energias eletromagnéticas. Ninguém delas escapa. Semelhantes atraem semelhantes. Aqueles que pensam amor, falam amor e agem com amor atraem amor. Assim tudo: perdão atrai perdão, luz atrai luz, prosperidade atrai prosperidade, vida e saúde atraem vida e saúde... As energias eletromagnéticas negativas atraem as semelhantes: ódio atrai ódio, raiva atrai raiva, maldição atrai maldição... Aqueles que pensam mal dos outros, falam mal dos outros e agem contra os outros atraem para si os males pensados, falados e feitos. Aqueles que pensam em doenças e desgraças atraem doenças e desgraças.
Assim, os pensamentos são energias eletromagnéticas que, mais cedo ou mais tarde, concretizam-se, tornam-se reais. Na lei evolutiva básica, divina e humana está o amor. Amar-se incondicionalmente, amar incondicionalmente o próximo e amar incondicionalmente Deus. O ser humano deve amar o próximo e perdoar-lhe sempre. Fazer-lhe sempre o bem e só o bem. Nunca, pois, fora da verdade, justiça e caridade, criticá-lo, julgá-lo, condená-lo.

PUBLICIDADE
').insertAfter(ps.get(i - 2)); }