POLICIAL

Suspeito de estupro de vulnerável: homem de 56 anos estava sendo investigado há mais de um ano


  • Por
  • 27/09/2018 - 10h10

Na manhã desta quarta-feira, 26, a Polícia Civil prendeu um homem suspeito pelo crime de estupro de vulnerável em Santo Ângelo.
A ação, realizada pela Delegacia de Polícia de Proteção a Criança e ao Adolescente (DPCA) de Santo Ângelo, foi decorrente do cumprimento de mandado de prisão preventiva. Segundo a delegada Luciana Cunha da Silva, o preso é professor de taekwondo e teria abusado de um aluno.
Em entrevista a Rádio Sepé, a delegada Luciana Cunha da Silva, explicou que o acusado vinha sendo investigado a mais de ano em razão de outros inquéritos que tramitaram na delegacia e foram remetidos ao judiciário.
“Agora nós tínhamos a informação de um novo fato onde foi instaurado um inquérito policial há um mês e representado pela prisão preventiva desse individuo junto ao poder Judiciário, diante dos elementos que o inquérito tinha. A prisão foi decretada e nós cumprimos hoje e o individuo foi encaminhado ao Presidio Regional de Santo Ângelo” explica Luciana.
A delegada também informou que pode dizer que o individuo está sendo investigado pela prática de estupro de vulnerável, mas não pode dar mais detalhes para preservar a vítima.
O individuo preso nessa quarta, 26, segundo Luciana, já tinha outros três inquéritos encaminhados a Justiça, sendo cada inquérito um fato e uma vítima e agora tem mais esse inquérito, que resultou na prisão preventiva, em andamento.
Ainda segundo a delegada nas outras ocasiões já haviam sido feitos pedidos pela prisão preventiva, mas o judiciário teve o entendimento de dar outras medidas diversas. E agora com nova representação o poder judiciário deferiu o pedido de prisão preventiva.
A partir do momento da prisão a delegada explica que tem 10 dias para fazer algumas diligências e concluir o inquérito para encaminhar ao judiciário.
Se alguém tiver informação ou denuncia pode procurar a Delegacia de Proteção a Criança e Adolescente ou ligar para o 3931-3260.

REDE SOCIAIS
A delegada Luciana faz um alerta para os comentários que estão circulando em redes sociais “é um alerta para que as pessoas tenham cuidado com o que divulgam”. Segundo ela, uma das publicações tem uma foto de uma outra prisão de outra pessoa em outra data e que foi presa por outros motivos.

PUBLICIDADE
').insertAfter(ps.get(i - 2)); }