POLICIAL

Após um ano do atropelamento, família de Duda passa por necessidade e pede justiça


  • Por
  • 16/08/2018 - 09h27
Paula Kroth/AT

Eduarda Richard dos Reis, 16 anos, era aluna do Instituto de Educação Odão Felipe Pippi, e no dia 15 de agosto de 2017, quando estava se deslocando para a escola foi atropelada por duas vezes em cima da faixa de segurança, a vítima acabou morrendo no dia 16 de novembro. A mãe que era diarista não consegue trabalhar, pois está com depressão e depende da ajuda da família e dos amigos para sobreviver.
Nesta quarta, 15, um ano após o acidente os colegas da turma 201 do curso de magistério do Instituto Odão Felipe Pippi, organizaram um protesto na rótula do Tio Bilia, com caminhada nas proximidades. O objetivo é mobilizar a comunidade e sensibilizar o Poder Judiciário.
A mãe Cleci Richard, 45 anos, mora junto com a sua filha Vitória de 10 anos, no bairro Pilau. Cleci contou que desde a morte da sua filha, não consegue trabalhar, pois está com depressão. Emocionada ela relata: “Eu sempre trabalhei e sustentei a casa sozinha com as faxinas que fazia, nunca deixei faltar nada, elas sempre estavam bonitas e bem arrumadas, mas agora eu não consigo mais. A dor que eu sinto, ninguém vai sentir”, diz.
Cleci também conta que a sua mãe recebe a aposentadoria e dá uma ajuda financeira para ela, os familiares e amigos, também ajudam quando podem.
Segundo Cleci nesta sexta, 17, irá ao Fórum conversar com advogados e o que foi informado para ela é que até o momento o inquérito não foi concluído: “Eu só quero Justiça”.
A diretora do educandário, Maria Denise Uggeri conta que toda a mobilização foi organizada pelos colegas da vítima Eduarda e que a família precisa de ajuda, mas precisam que a Justiça agilize o processo.

O ACIDENTE
Eduarda Richard dos Reis foi atropelada na manhã do dia 15 de agosto de 2017 quando atravessava a faixa de segurança próximo à rótula Tio Bilia, na avenida Sagrada Família. A jovem seguia para a escola.
O acidente aconteceu as 7h45min quando a aluna foi atropelada por um veículo Saveiro. Em seguida um Kadett que vinha atrás da Saveiro não conseguiu frear a tempo e atingiu novamente a jovem.
A vítima foi socorrida e levada ao Hospital Santo Ângelo, onde passou por cirurgia. A jovem se recuperou e deu alta da Casa de Saúde. No dia 16 de novembro Eduarda retornou ao hospital e morreu em decorrência de uma parada cardiorrespiratória.

PUBLICIDADE
').insertAfter(ps.get(i - 2)); }