GERAL

Eleições 2018: Serão seis votos e 19 dígitos


  • Por
  • 06/10/2018 - 08h00

Para votar o candidato deve apresentar o título de eleitor e um documento oficial de identificação com foto.
Serão seis votos e 19 digítos.

DEPUTADO FEDERAL
O primeiro passo são quatro dígitos para deputado federal e em seguida tecla confirma. No caso de voto na legenda dois dígitos (o número do partido).

DEPUTADO ESTADUAL
O segundo passo cinco dígitos para deputado estadual e confirma. O terceiro passo são dois dígitos para senador (1ª vaga) confirma.

SENADOR: DOIS VOTOS
O quarto passo dois dígitos para senador (2ª vaga), confirma.

GOVERNADOR
O quinto passo dois dígitos para governador, confirma.

PRESIDENTE DA REPÚBLICA
E o sexto passo dois dígitos para presidente, confirma.
A urna eletrônica vai dar o sinal de conclusão da votação.

Cola eleitoral

O Cartório Eleitoral recomenda os eleitores para levar uma cola com o número dos candidatos que vai facilitar e agilizar a votação.
Você pode recortar, preencher e levar o modelo publicado na capa desta edição.

Saiba o que é proibido e o que é liberado

Neste sábado, até as 22 horas, os candidatos podem fazer campanha com auto-falantes e amplificadores de som, além de distribuição de santinhos, carreata, passeata ou carros de som. Após esse prazo, o TSE proíbe estas formas de campanha.
No domingo, 7 de outubro, as eleições acontecerão das 8h às 17h no horário local em todo o Brasil.
Os eleitores não podem levar o celular para a cabine de votação, então é importante anotar os números em outro lugar. Também são proibidos máquinas fotográficas, filmadoras e instrumentos que possam comprometer o sigilo do voto.
No dia da eleição poderão ser divulgadas pesquisas feitas em datas anteriores a qualquer hora para todos os cargos.
Os eleitores poderão demostrar sua preferência de voto no dia da eleição, desde que seja de forma individual. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) proíbe aglomerações de pessoas demonstrando apoio a determinado candidato, Também são proibidos vestuário padronizado, assim como bandeiras, broches, dísticos e adesivos que caracterizem manifestação coletiva, com ou sem utilização de veículos.
Outra proibição refere-se aos fiscais de votação que não poderão demonstrar sua preferência partidária no dia da eleição. A conhecida como boca de urna na eleição também é proibida no dia da eleição. A pena para esse crime é de seis meses a um ano, com a alternativa de prestação de serviços à comunidade pelo mesmo período, e multa no valor de cinco mil a quinze mil reais, e suspensão do título de eleitor.

Eleitor poderá utilizar aplicativo digital no smartphone como documento

A novidade desta eleição é o e-Título, um aplicativo móvel que permite acesso rápido e fácil de informações junto à Justiça Eleitoral como acesso à via digital do título de eleitor, situação eleitoral e local de votação.
Basta baixar o aplicativo, disponível para iPhone (iOS), smartphones (Android) e tablets.
Os eleitores que estão em dia com a Justiça Eleitoral e desejam atendimento apenas para impressão da segunda via do título podem ficar despreocupados, pois o e-Título substitui o documento na hora de votar.

PUBLICIDADE
').insertAfter(ps.get(i - 2)); }