GERAL

Caravana mobiliza municípios atendidos pelo Case Santo Ângelo


  • Por
  • 19/08/2018 - 14h00
Reunião na CNEC contou com a presença de um bom público formado por pessoas da região Noroeste (Paula Kroth/AT)

A Fundação de Atendimento Sócio-Educativo (Fase) promoveu na quinta, 16, a caravana da socioeducação em Santo Ângelo, no auditório Salão Azul da Faculdade CNEC.
O evento difunde informações sobre as práticas socioeducativas e estimula o trabalho da rede de atendimento em meio aberto em 89 municípios.
A região está dividida em 25 comarcas de onde são provenientes os jovens internos nos centros de Atendimento Socioeducativo (Case) e de Semiliberdade (Casemi) de Santo Ângelo. A noite, ocorreu o Colóquio da Socioeducação, que debateu temas relacionados ao sistema socioeducativo.
Atualmente o Case de Santo Ângelo que tem capacidade para 40 internos está com 72. Mesmo assim o presidente da Fase, Robson Luis Zinn enfatizou a qualidade do trabalho desenvolvido na unidade.
Zinn também citou que tem jovens no Case que poderiam estar cumprindo liberdade assistida ou até prestação de serviço a comunidade e isso acontece em todos os lugares.
“São pequenos delitos que quando o adulto comete não vai para o presídio e quando o adolescente comete é internado no Case. O que acaba ocasionando um número maior de internos”, fala.
Segundo ele, 80% dos jovens atendidos atualmente estavam afastados da escola antes de ingressarem no sistema Fase.
“É preciso que todos estejam engajados para resolver essa questão que não é só um problema do Estado, mas também dos municípios, da União, do Judiciário, Ministério Público e todos aqueles que de alguma forma possam contribuir para que os jovens não percam o vínculo com a educação”, afirmou.
Para o titular do Juizado Regional da Infância e Juventude de Santo Ângelo, Luiz Carlos Rosa, trazer a discussão sobre socioeducação para dentro da comunidade é fundamental.
Já a defensora pública de Santo Ângelo, Andreia Gasparini, lembrou que oferecer educação, além do caráter punitivo, é essencial para que o jovem retorne melhor à sociedade.
Simultaneamente à realização dos trabalhos na universidade, na Praça Ricardo Leônidas Ribas (Praça do Brique), ocorreu durante todo o dia a distribuição de materiais informativos. Uma equipe da Fase esclareceu à população sobre o funcionamento do sistema socioeducativo no RS.

VISITA A CASE
Na tarde de quinta, 16, a imprensa foi convidada a realizar uma visita a Case Santo Ângelo acompanhada do diretor Riade Mustafá e o presidente da Fase, Robson Zinn.
Durante a visita foi mostrada as melhorias realizadas, como a instalação do ponto eletrônico para os servidores, a implantação da revista humanizada com a instalação de pórtico de entrada, raquete de detecção de metais e banqueta eletrônica, substituição do telhado, reforma dos banheiros que estavam com problemas de infiltração e acabavam interditando salas de aula no local.
Também foi mostrada a horta que os próprios adolescentes cuidam, contando inclusive com um espaço para horta vertical onde são plantados temperos e chás.

ESCOLA
No local também será construído em anexo ao prédio do Case uma escola com seis salas de aula e outras instalações.
Zinn ressalta que a escola que existe no Case de ensino fundamental e médio não deixará de existir, apenas ela terá um novo espaço. E no local onde atualmente funciona a escola, será utilizado para oficinas.
A previsão é que as obras sejam concluídas até abril.

PUBLICIDADE
').insertAfter(ps.get(i - 2)); }