CIDADE ALERTA

Trapalhadas


  • Por
  • 09/08/2018 - 16h52

SÓ PARA LEMBRAR
Tá muito mal explicada essa ação de retirada da transmissão dos pronunciamentos dos vereadores. A alegação de respeito a lei eleitoral não cola. Basta não descumprir a lei e pronto.

ORIENTAÇÃO???
O que me admira é que a assessoria jurídica da Câmara tenha se prestado a um verdadeiro papelão como esse. Admitir que foi alguém que levou a orientação até o Legislativo é um demérito ao Poder. E tomar a decisão de forma autoritária sem discutir com os demais membros da Câmara é falta de respeito com a comunidade que os elegeu.

TRAPALHADAS
Antes dos vereadores serem comunicados da decisão, uma nota da Câmara comunicando a suspensão já havia sido enviada para a imprensa. Depois, no calor da discussão, se considerou ter uma conversa com o Ministério Público sobre o assunto. Ou seja, uma trapalhada em cima da outra. De fazer corar Didi e sua turma.

A MEDALHA E
O PRECIOSO
Gastar o próprio dinheiro para receber um diploma ou medalha é direito de quem quer que seja. Agora, quando envolve gasto de dinheiro público para isso é fato que precisa mesmo ser esclarecido. Está certo o vereador Getúlio Zborowski (PP) em buscar o apoio do Ministério Público para esclarecer essa situação. Esse tipo de ação está sendo investigada pelo MP estadual. Foi denúncia nacional do programa Fantástico da Rede Globo, que mostrou como essa “indústria” de honrarias trabalha e faz com que agentes políticos usem o dinheiro do povo para algo injustificável. É uma maneira semelhante aos famosos cursos de aperfeiçoamento disponibilizados a vereadores e assessores. Enganação pura que já deveria ter sido extirpada com a punição aos que usam desses artifícios para atacar o já combalido erário. O único inocente, mesmo, dessa história é o jumento Precioso, eleito gestor nota 10 numa dessas empulhações.

PARA REFLETIR
“Por um lado, ter um inimigo é muito ruim. Perturba nossa paz mental e destrói algumas de nossas coisas boas. Mas, se vemos de outro ângulo, somente um inimigo nos dá a oportunidade de exercer a paciência. Ninguém mais do que ele nos concede a oportunidade para a tolerância. Já que não conhecemos a maioria dos cinco bilhões de seres humanos nesta terra, a maioria das pessoas também não nos dá oportunidade de mostrar tolerância ou paciência. Somente essas pessoas que nós conhecemos e que nos criam problemas é que realmente nos dão uma boa chance de praticar a tolerância e a paciência”. Dalai Lama.

PERGUNTAR NÃO OFENDE
A estratégia da retirada da transmissão do Pinga-Fogo da Câmara de Vereadores visa evitar que se fale de que tipo de assunto durante a campanha eleitoral?

PUBLICIDADE
').insertAfter(ps.get(i - 2)); }