CIDADE ALERTA

Pacotaço causa indignação


  • Por
  • 13/03/2018 - 14h55

SÓ PARA LEMBRAR
Os aumentos abusivos e a cobrança da taxa do alvará sanitário, que antes não ocorria, tem causado enormes reclamações da comunidade. E quem tem a obrigação, em vez de dar uma resposta para a população, prefere escalar puxa-saco desqualificado e incompetente para atacar quem critica o pacotaço. Aliás, mandalete pago com o dinheiro público. Dinheiro público muito mal aplicado, diga-se de passagem. Jogado fora, propriamente dito.

CÂMARA DE
VEREADORES
E, também, dá para fazer uma crítica à Câmara de Vereadores nesse episódio do “pacotaço” do governo municipal. Tá certo que o projeto foi apresentado às pressas, sem muito tempo para discussão. Porém, devido à sua importância, os próprios vereadores deveriam ter provocado o debate, alertando à comunidade e as entidades sobre as propostas da administração municipal. Passou batido e está estourando agora.

CARNÊS
Outra situação inexplicável é o atraso no encaminhamento dos carnês. Em dezembro já eram conhecidos os índices e isso já deveria ter sido encami nhado. Desgaste desnecessário que soma-se à paulada dos aumentos. E, pelo que fiquei sabendo ontem de uma pessoa ligada ao governo municipal, poderá ter consequências fortes. A cobrança vem forte.

TRÂNSITO
Na semana passada, foram registradas muitas reclamações da comunidade com relação ao fechamento de ruas da cidade para o corte de grama dos canteiros centrais na Três de Outubro e Antunes Ribas. Isso porque, a Marquês do Herval, entre a Três de Outubro e avenida Brasil, já estava fechada para as obras da Corsan. Faltou planejamento do Departamento Municipal de Trânsito e da Secretaria Municipal do Meio Ambiente. E isso fica claro para quem passou no fim de semana pela avenida Venâncio Aires, na Zona Norte. O corte de grama do canteiro deveria ter sido feito naquele local e não na área central.

BADERNEIROS E
NÃO MANIFESTANTES
Deu na TV: “Manifestantes invadem a gráfica de um jornal”. Ora, se estavam armados com facões e invadiram não são manifestantes. São baderneiros. E do MST, que recebe um bom recurso de dinheiro público. Ou seja, do nosso dinheiro. Taí outro caso de má aplicação do dinheiro do contribuinte.

PARA REFLETIR
“Se acha que a competência custa caro, experimente a incompetência”. Miguel Monteiro

PERGUNTAR NÃO OFENDE
Vários são os pequenos e microempresários que entram em contato com a Rádio Sepé e o Jornal A Tribuna para reclamar da cobrança do Alvará Sanitário, que, segundo eles, não acontecia até o ano passado. Quem sabe todos eles estão errados e o “mandalete” é que está certo?

 

PUBLICIDADE
').insertAfter(ps.get(i - 2)); }