CIDADE ALERTA

Nem deveria estar falando nisso


  • Por
  • 30/07/2018 - 11h18

SÓ PARA LEMBRAR
Não querer divulgar uma ocorrência policial ou ambiental sob justificativa de instrução referente a lei eleitoral não é só desconhecimento. É piada.

ENFOQUE
Muito se comentou nesta semana sobre as matérias publicadas nas edições de terça-feira de A Tribuna e do Jornal das Missões. As duas matérias abordaram o mesmo tema mas com enfoques totalmente diferentes. A Tribuna destacou a preocupação do Sindicato do Trabalhadores Rurais com a redução no número de produtores atuando na ativide leiteira e o quanto isso colabora para o êxodo rural. Enquanto o JM trabalhou especificamente o aumento da produtividade. Inclusive, referendando exatamente o que disse o presidente do STR, Daniel Casarin, de que a produção está concentrada. Com a concentração e a tecnologia, a produtividade pode aumentar mesmo com o abandono por parte de produtores. É isso. São dois enfoques sobre o mesmo tema. Não existe conflito de informação.

ENFOQUE 2
Nem deveria estar falando nisso, mas como criar caso ou polêmica sobre as matérias não cabe. E atacar os dois jornais de forma barata e pequena é coisa de quem não consegue se estabelecer no meio. Aliás, resultado da pura incompetência.

GARRUCHOS
Comentei na coluna de quinta sobre a situação de Garruchos e a luta daquela população pela ligação asfáltica. Recebo e-mail do leitor Mário Gomes sobre o assunto. Ele lembra que a rodovia que liga a BR 285 a Garruchos, há alguns anos foi demarcada e balizada, com grande movimentação de máquinas e profissionais em construção de rodovias, o que resultou numa maior procura por propriedades rurais, que consequentemente passaram a ser mais valorizadas. “O preço por hectare subiu vertiginosamente. Ganhou, momentaneamente, o vendedor e perdeu o comprador”, observa. Além disso, Mário pensa que encurtar caminho de Garruchos até São Borja passando pela a Argentina é um medida paliativa e que denota uma desesperança quanto a concretização das promessas de asfaltamento. ”Como o povo é ingênuo e é época de eleição, só nos resta continuar esperando, sem deixar a esperança morrer”, acrescenta

PARA REFLETIR
“Nós, brasileiros, temos um vício, que é muito perigoso, de nos contentar muitas vezes com o possível, em vez de procurarmos o melhor”. Mário Sérgio Cortella.

PERGUNTAR NÃO OFENDE
Tanto é verdadeira a preocupação do STR local que a redução de estabelecimentos rurais é de 38% em 12 anos no município de Santo Ângelo. A média nacional é de 2%.É ou não é preocupante?

PUBLICIDADE
').insertAfter(ps.get(i - 2)); }