Correios: Greve chega a duas semanas. Mas perde adesão

Cerca de 40% dos que aderiram à greve já voltaram às atividades (Danton Mousquer/AT)

 

A greve dos carteiros do Centro de Distribuição Domiciliar (CDD) da Empresa de Correios e Telégrafos (ECT) de Santo Ângelo completa duas semanas nesta terça, 9. O CDD funciona junto a um prédio instalado no Condomínio Adhara, centro da cidade. Porém, o movimento registra um esvaziamento de 40% do quadro funcional que havia aderido ao movimento desde o dia 27 de abril.
No início da paralisação das atividades atingia um índice de 90% de adesão, admitiu ontem, 8, a representação sindical da categoria. Neste período, deixaram de ser entregues milhares de objetos, principalmente boletos bancários, para a comunidade do município. Quando a greve iniciou , a estimativa era que em torno de 15 mil encomendas não seriam distribuídas por dia.
Metade dos servidores continuam paralisados. Uma parcela do estoque de objetos foi entregue neste final de semana. Carteiros do CDD da ECT da cidade de Ijuí foram convidados pela direção da estatal para suprir a demanda e trabalharam no sábado, 6, e domingo, 7.
A redução de adesão ao movimento grevista se deve mais pelo fato de que alguns carteiros estão gozando férias e outros licença-paternidade, segundo o líder sindical que não quis ser identificado.
A situação das horas extras trabalhadas e pagas aos finais de semanas não sofreu qualquer alteração, elucida o sindicalista. A principal reivindicação dos carteiros é o fim da entrega escalonada de encomendas. “Queremos que volte a distribuição diária de objetos”, defende.


REIVINDICAÇÕES
A categoria luta prioritariamente ainda contra o fechamento de agências da empresa, a terceirização dos serviços e privatização da estatal. No RS, um total de 11 unidades da empresa encerraram suas atividades.
Em relação ao horário de atendimento do CDD da ECT se mantém normal que é das 11 às 12 horas e das 16 horas às 17h20min. Contudo, antes da deflagração da greve, o serviço era feito pouco antes desses horários, lembra o representante sindical dos carteiros do órgão.
Mesmo assim, ontem, pouco depois das 14 horas, muitas pessoas reclamavam do horário uma vez que necessitavam receber especialmente boletos para pagamento na rede bancária, além de encomendas pré-agendadas.
Na agência central da ECT situada na rua Três de Outubro, proximidades da esquina com a avenida Venâncio Aires, os trabalhos permanecem normais. A gerente administrativa da empresa, Ana Carla do Nascimento, frisa que o horário de atendimento no CDD sempre foi o mesmo, uma vez que no local são distribuídas em sua maioria boletos.

 

ECT anuncia mutirão

A direção da ECT anuncia que estão sendo realizados mutirões em unidades do Rio Grande do Sul desde o último feriadão do Dia do Trabalho com o objetivo de minimizar os impactos da paralisação de trabalhadores da estatal.
Como ainda há empregados em greve, novas ações estão sendo promovidas para agilizar o encaminhamento de encomendas e objetos oriundos de outras localidades gaúchas. A empresa também informa que estão adotando as medidas necessárias para garantir a continuidade dos serviços nos locais em que ainda há paralisação parcial de trabalhadores.
Em relação à distribuição domiciliária, a empresa salienta que os processos de entrega estão sendo revistos em todas as unidades operacionais dos Correios e adaptados conforme a realidade de cada município.

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar