Emater trabalha com quebra de até 9% na produção leiteira

 

Mesmo com a chuva registrada na quinta-feira, a Emater de Santo Ângelo trabalha com uma quebra estimada que varia de 8% a 9% na produção leiteira do município.
Conforme informações do médico veterinário do órgão, Domênico Weber Chagas, que assumiu a função no escritório do órgão desde novembro do ano passado, a seca que durou cerca de 20 dias e o forte calor vigente principalmente no fim de janeiro e início de fevereiro foi prejudicial para o desenvolvimento das pastagens.
Conforme ele, atualmente 550 produtores do município estão cadastrados na Emater possuindo um rebanho de aproximadamente 7.550 bovinos de leite. Ele lembra que antes do verão tórrido que ocorreu nestes últimos dias a produtividade média diária era de 43 mil a 45 mil litros. Porém, ressalva, agora caiu para uma média de 40 mil, compara.
Entre as seqüelas do calor intenso nos animais foi o estresse térmico no gado provocando uma queda da qualidade do pasto e menor tempo de pastejo o que gera uma redução na produção leiteira. Ele entende que as pastagens para aqueles produtores que realizaram o manejo adequado, a precipitação da semana passada proporcionou um rebrote (renascimento) das plantas.

 

LEIA MAIS NA VERSÃO IMPRESSA

 

Foto: Emater/Divulgação

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar