Caso de rato morto encontrado no leite é encaminhado para o MP

 

O caso da mulher que encontrou um rato morto dentro de uma caixa de leite, em Crissiumal, assustou a região, por ser um alimento necessário para o bom funcionamento do organismo. Cerca de 140 litros do laticínio é consumido anualmente no Brasil, segundo uma pesquisa realizada pela Empresa Brasileira de Pecuária e Abastecimento (Embrapa). A marca responsável pela fabricação do produto, segundo o Delegado de Polícia William Garcez, é a Elegê.

 

Após a divulgação, o caso foi encaminhado para o Ministério Público de Crissiumal. A intenção é descobrir se o animal teria entrado dentro da caixa de leite antes ou após o produto ter sido aberto para consumo. O Promotor Ronaldo Arbo ouviu a vítima e solicitou que a Vigilância Sanitária examine outros litros de leite do mesmo lote, para constatar se houve contaminação. Além disso, uma perícia deve ser feita no rato, para saber há quanto tempo ele estaria dentro do recipiente. O delegado local, William Garcez, aconselhou que as pessoas que tiverem acesso ao lote TT09IS/04:42 procurem as autoridades.

 

O fato ocorreu na última sexta feira, quando uma moradora de Crissiumal encontrou um rato morto dentro de uma caixa de leite enquanto preparava o café da manhã para seus filhos. A ocorrência foi registrada no mesmo dia. Segundo a Polícia, a caixa não foi violada e apenas não possui o lacre na tampa. O recipiente, segundo o MP, teria sido recebida vazio e vedado.

 

 

Foto Divulgação

 

 

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar