Familiares de vítima de homicídio fazem caminhada pedindo justiça

 

Familiares e amigos de José Luiz de Abreu, 47 anos, mais conhecido como “Gajego”, que foi vítima de assassinato durante a noite de terça-feira, 22 de abril, fizeram uma caminhada pedindo justiça. O grupo foi até a Delegacia de Proteção a Criança Adolescente e Posto da Mulher (DPCA), que está cuidando do caso e também até o Forum. Nos cartazes portavam, frases como: “Queremos justiça”, “assassino preso”, “luto eterno”, entre outras.

 

 

O autor confesso do crime é o filho da vítima, um adolescente de 16 anos, que chegou a apreendido, mas já foi liberado do Centro de Atendimento e Sócio Educativo (Case). De acordo com Vanderlei de Abreu, irmão de “Gajego”, a caminhada foi realizada para chamar a atenção da Justiça. “Uma vida foi perdida de forma muito trágica e desumana”, diz. Vanderlei também mostrou inconformidade com o fato do adolescente ter sido liberado do Case. “Ele está no bairro, onde moram demais familiares da vítima, demostrando que a lei o protege, pois está solto”.

 

 

 Segundo Vanderlei, no dia do enterro da vítima, a viúva e nem os filhos foram até o velório demonstrando, descaso com a morte. Os familiares também querem que a esposa da vítima responda pelo crime. “De uma forma ou outra ela participou”, afirma o irmão.

 

 

INQUÉRITO

 

Conforme a titular da DPCA, delegada Elaine Maria da Silva, o inquérito foi concluído dentro do prazo e logo após a apreensão do adolescente, foi encaminhado ao Ministério Público para análise. A mãe do adolescente não foi presa e nem responderá pelo crime, pois não foi comprovada a participação dela no crime, disse a delegada.

 

 

 

CRIME

 

O crime bárbaro aconteceu no bairro Rogowski, na noite de terça-feira, 22 de abril. Segundo laudo apresentado pela delegada Elaine Maria da Silva, a vítima sofreu 26 ferimentos provocados por facadas. O histórico da família do adolescente era de frequentes atos de violência praticados pelo marido contra a esposa, mãe do acusado. “Gajego”, de acordo com levantamento da Polícia, possuía antecedentes criminais.

 

 

Foto: Rogério Sartori/AT

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar