Acusado de pedofilia e crimes sexuais foi preso pela segunda vez

Crédito foto: Banco de Dados/AT

 

Nesta semana, retornou ao Presídio Regional de Santo Ângelo o jovem de 24 anos acusado de cometer crimes sexuais contra crianças e adolescentes através das redes sociais.
O rapaz foi preso pela primeira vez no dia 8 de outubro de 2014 sob acusação de filmar e captar imagens impróprias de crianças e adolescentes, usando as redes sociais para a aproximação.
Pouco tempo depois de ser preso, ele acabou tendo sua prisão revogada e foi liberado. Porém, agora, diante de fatos novos que teriam surgido nas investigações, ele acabou sendo preso novamente.
Sua prisão foi decretada pela Justiça Estadual e cumprida pela Polícia Civil na terça-feira, 10, quando o jovem estava em um ponto comercial no bairro Pippi.
O jovem está recolhido o Presídio Regional de Santo Ângelo, onde permanecerá à disposição da Justiça.

CASO

Denúncia partiu de mães

A Polícia Federal cumpriu, durante a manhã da quarta-feira, 8 de outubro de 2014, um mandado de prisão preventiva e de busca e apreensão decretados pela Justiça Federal, quando foi preso o jovem morador de Santo Ângelo, suspeito de crimes sexuais contra crianças e adolescentes.
As investigações foram iniciadas após denúncia partida de mães de um grupo de meninos de 11 anos que procuraram a Polícia Federal em Santo Ângelo depois terem percebido que seus filhos estariam sendo vítimas de assédio sexual através da internet.
A denuncia é que com a utilização de programas de bate-papo e redes sociais, o investigado, que na época tinha 23 anos, e atuava como instrutor de tênis, mantinha diálogos com teor impróprio com suas vítimas e, por meio da câmera acoplada ao computador de seus interlocutores, captava cenas de exibição explícita de crianças e adolescentes.
Após obter o material via internet, o criminoso armazenou as imagens envolvendo diversos meninos entre 11 e 16 anos em situações pornográficas. Foi feita uma perícia técnica nos equipamentos eletrônicos apreendidos no dormitório e na casa do jovem e recuperados os arquivos que já estavam apagados e que continham as cenas de pedofilia segunda a denuncia. Durante o andamento do inquérito foram ouvidas mais de 70 pessoas, moradores de Santo Ângelo, Ijuí, Entre-Ijuis, Palmeira das Missões, entre outras. Logo após esta etapa, o processo foi encaminhado para a Justiça Estadual, que segue os trabalhos.

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar