Mãe mata filha de cinco anos por atrapalhar relacionamento

 

Em depoimento à polícia, ela confessou ter cometido o assassinato. A morte foi descoberta a partir de uma ocorrência de desaparecimento, nesta terça-feira, 3, em Bagé, por volta das 5h. Como justificativa alegou que a menina "atrapalhava" o relacionamento dela com o companheiro, padrasto da vítima. A mulher morava com a filha, o companheiro e um bebê, filho do casal.

 

 Na Polícia, a mãe contou que estava dormindo em casa com os filhos e, quando acordou, a menina havia desaparecido. Na noite anterior ao crime, a família teria jantado na residência de um familiar e retornado para casa por volta de 1h30min. Logo depois, o companheiro teria ido dormir na casa de sua mãe. A saída teria sido o estopim para que ela decidisse assassinar a filha.

 

Por volta das 7h, quando o companheiro retornou para casa, a polícia e vizinhos faziam buscas nas proximidades e o corpo da criança foi encontrado em um matagal a menos de 100m da residência. Interrogada pela polícia, a mãe confessou ter asfixiado a filha de 5 anos com um saco plástico e uma bermuda, que foram encontrados em um contêiner de lixo próximo do local. Depois, jogou o corpo da criança no matagal.

 

Dias antes do crime, o Conselho Tutelar do município recebeu denúncias de maus-tratos à menina que seriam praticados pela mãe, mas não identificou indícios que confirmassem a suspeita. Conforme o depoimento da mulher à polícia, a criança teria distúrbios psiquiátricos e, inclusive, fazia tratamento com medicamentos.

 

Segundo a polícia, tanto Michele quanto o companheiro tem antecedentes por pequenos furtos, mas não indícios de que os dois tenham sido parceiros no crime. A mãe teve a prisão preventiva decretada e foi recolhida ao Presídio Regional de Bagé. O bebê está sob cuidados da avó paterna.

 

 

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar