Advogado suspeito de lesar 30 mil clientes é preso em Passo Fundo

 

O advogado Mauricio Dal Agnol, suspeito de lesar pelo menos 30 mil clientes e lucrar indevidamente um valor estimado em R$ 100 milhões, foi preso pela Polícia Federal de Passo Fundo no final da tarde desta segunda-feira, 22. O delegado da PF do município, Mario Luiz Vieira, informou que os agentes cumpriram o mandado de prisão no momento em que o advogado chegava em seu escritório.

 

Com o advogado, os federais apreenderam uma pasta com dinheiro. Estimativa inicial da Polícia Federal indicou que haveria cerca de R$ 200 mil. Para o delegado, o indício é de que ele planejava fugir do país ainda nesta noite.

 

Dal Agnol foi preso na avenida Brasil, na vila Petrópolis, por agentes da Policia Federal comandados pelo delegado Mário Luiz Vieira. Ele trafegava pela avenida com uma caminhonete Land Rover, após sair do prédio em que tem escritório, quando foi interceptado pelos agentes federais. Ele estava com prisão preventiva decretada pela juíza da 3ª Vara Criminal de Passo Fundo, Ana Cristina Frighetto por falsificação de alvarás.

 

Dal Agnol foi o principal alvo da Operação Carmelina, desencadeada em fevereiro pela PF. Na época, ele teve a prisão decretada, mas fugiu para os Estados Unidos. Ele chegou a ter o nome incluído na lista de procurados da Interpol. Em junho, o advogado retornou ao Brasil e apresentou-se à Justiça em Passo Fundo, após ter o pedido de prisão preventiva suspenso no mês de maio.

 

Na semana passada, o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), acolhendo manifestação do Ministério Público Federal (MPF), havia decidido pela manutenção da suspensão do exercício profissional de Dal Agnol.  A investigação da PF apontou que ele firmara acordos em nome dos clientes e não repassara os ganhos de causa. A maioria dos processos era contra a empresa de telefonia Brasil Telecom.

 

 

Foto: Divulgação

 

 

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar