Presidente do Sindicato acredita que ampliação da carga horária seria nociva para a Educação Infantil

Rosane Stocker espera após recuo do vereador Queiroz poder discutir com o prefeito Jacques Barbosa o reajuste dos professores (crédito foto:Cristiano Devicari/AT)

 

 

A ampliação da carga horária proposta pelo vereador Adolar Queiroz seria altamente nociva para a Educação Infantil”. Essa é a afirmação da presidente do Sindicato dos Professores Municipais, Rosane Stocker, que desaprova o requerimento proposto pelo atual presidente da Câmara de Vereadores, Adolar Queiroz. O edil havia proposto a ampliação, mas diante da pressão do sindicato acabou retirando o requerimento.
A presidente contou que tomou conhecimento do conteúdo do requerimento do vereador Adolar Queiroz no último domingo, 2. “Esse requerimento era totalmente inviável, tendo em vista a Legislação que ampara a escola funcionar de 7 a 10 horas diárias corrida, dependendo de cada situação. Estamos muito preocupados e felizmente o vereador recuou e retirou esse requerimento que do nosso ponto de vista não traria nenhuma contribuição para a Educação Infantil. Pelo contrário, prejudicaria e com isso não estávamos concordando”, frisou Rosane.
A sindicalista disse que hoje um professor faz 30 horas e pode ter mais 10 horas de convocação. “Se esse horário fosse estendido das 17h30min para as 18 horas seria necessária a contratação ou nomeação de novos professores para Educação Infantil, tudo porque se tiver, por exemplo, oito turmas de crianças seriam necessários oito professores. E da forma como está hoje seria inviável a aprovação desse requerimento. Felizmente esse projeto nocivo para a educação não foi aprovado”, disse.
Conforme a presidente do Sindicato dos Professores, Rosane Stocker, hoje mais de 150 professores estão atuando na Educação Infantil.


REAJUSTE SALARIAL
Rosane Stocker conta ainda que tinha sido marcada reunião no sindicato com o prefeito Jacques Barbosa, na sexta-feira, 31 de março, para discutir o reajuste salarial dos professores da rede municipal de ensino, assim como o piso salarial e a hora atividade. “Estávamos aguardando pela reunião, mas ele não veio. Soubemos depois que o prefeito teve um imprevisto. Esperamos que nessa semana seja possível uma audiência com o prefeito Jacques. Estamos esperando a manifestação do prefeito”, diz a sindicalista.
A presidente do sindicato explica que hoje um professor inicial recebe R$ 1.040,00 por 20 horas. “Queremos um reajuste salarial de 10.5%. Acreditamos que o chefe do Executivo será sensível a nossa proposta. Esse é o índice necessário para que os professores possam receber o piso da educação”, frisa.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar