Excesso de umidade preocupa produtores

Crédito foto: Rogério Sartori/AT

 

Ao fazer uma avaliação preliminar sobre os efeitos da chuva de granizo registrada na noite de domingo, 12, em Santo Ângelo, nas lavouras de trigo, o chefe do escritório municipal da Emater, agrônomo Álvaro Uggeri Rodrigues, esclarece que o cereal seria mais afetado com a ocorrência desse fenômeno climático se estivesse nas fases de germinação e formação de grãos.
“Se o trigo se encontrasse nesses estágios, o granizo facilita a quebra na planta e os danos são irreparáveis”, observa. A principal conseqüência desse sinistro no cereal é o seu dano físico com a quebra das folhas e hastes, sendo o principal impacto negativo nas lavouras implantadas.
No município, foi cultivado nesta safra uma área de 12.250 hectares com trigo, cuja produtividade inicial estimada é de 45 sacas por hectare. “Toda área está semeada e atualmente encontra-se na fase de desenvolvimento vegetativo. Mas as atuais condições climáticas não está sendo favoráveis para a cultura há mais de uma semana”, anuncia o agrônomo.
Ele adianta que a equipe técnica da Emater vem fazendo uma vistoria para averiguar a situação do trigo atingido pela chuva de granizo. Mesmo assim, não se estima até agora perdas na cultura. ‘‘Pois em muitas propridades rurais não se observou o fenômeno’’, justifica. Conforme levantamento preliminar feito pelo órgão, as localidades mais atingidas pelo granizo foram Comandaí e Distrito do Sossego.
PASTAGENS
Os efeitos de uma chuva de granizo também são os mesmos nas pastagens. “Dependendo da intensidade do sinistro, serão semelhantes os danos no pasto”, comenta. Mas, assinala ÁlApós
as chuvas verificadas na Capital das Missões, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR) de Santo Ângelo, Oswaldino José Lucca, em contatos mantidos com alguns agricultores, manifestou a preocupação de que caso persistem as atuais condições climáticas, no próximo mês a produção leiteira no município poderá sofrer uma quebra de 15% a 20%.
Devido à intensidade umidade no solo, as pastagens de inverno não se desenvolvem de forma regular, alega. Lucca frisa que o pasto precisa de luminosidade e de um permanente tempo seco neste período do ano para o seu pleno desenvolvimento.
MAIORES DANOS
Conforme ele, os maiores danos da tempestade ocorrida domingo seguida de fortes ventos e queda de granizo foram registrados principalmente em Rincão dos Timbaúva, com destelhamento de casas e outras estruturas das propriedades rurais.
‘‘Outras localidades afetadas pelo temporal foram Comandaí e Distrito do Sossego, mas mais em decorrência da chuva de granizo’’, comenta.
varo, o que vem causando maiores prejuízos na sua produção para alimentação animal são as atuais condições climáticas.
“Os produtores rurais são obrigados a retirarem o gado das áreas de pastagem, pois há o acúmulo de muito barro. E a lama aliada ao pisoteio do rebanho tem provocado sérios danos para o pasto e conseqüentemente para os animais”, opina.
Previsões dos institutos de meteorologia apontam mais chuva para esta semana. Contudo, o agrônomo acredita que existe a expectativa de melhorias no clima. “Caso contrário, a cultura sofrerá diminuição do seu potencial produtivo”, alerta.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar