Proposta da Semma é que 20% da população reaproveite água da chuva


 

Em jantar de confra­ternização realiza­do na noite de terça-feira, 5, no Parque de Exposi­ções Siegfried Ritter, em Santo Ângelo, o secretário municipal de Meio Am­biente, José Ricardo Fer­reira, anunciou que a pro­posta da pasta é que até 2016, pelo menos 20% da população do município, tanto da zona rural quan­to urbana, reaproveite a água da chuva.

 

No encontro festivo houve o lançamento ofi­cial do projeto de reutili­zação das águas pluviais que vem sendo desenvol­vido pela Secretaria Mu­nicipal de Meio Ambiente (Semma) há cerca de um ano. “São exemplos de alternativas sustentáveis que podem auxiliar no melhor aproveitamento dos recursos que a natu­reza oferece”, opina Fer­reira.

 

O estande da Sem­ma que funcionará até domingo, 10, durante a programação da 17ª edi­ção da Feira Nacional do Milho (Fenamilho) conta com um telhado ecoló­gico. Foi construída uma casa no qual a água que cai pelo telhado pelas ca­lhas chega até a cisterna, após passar por um siste­ma de filtragem.

 

Depois desse processo, a água captada da chuva é bombeada até uma caixa d’água convencional para sua distribuição no local. “É um sistema que possi­bilita o reaproveitamento da água para o consumo do gado, irrigação de hor­tas ou jardins, bem como, para lavagem de equipa­mentos e limpeza”, desta­ca o secretário.

 

Ferreira esclarece que até o momento uma mi­noria da comunidade vem adotando essa ação que despertou a atenção e o interesse principalmente dos agricultores que es­tiveram visitando a Casa do Meio Ambiente no par­que. No meio urbano, a população vem colocando gradativamente em prá­tica o projeto da Secreta­ria, pois reduz o custo da conta da água em até 60%, comenta.

 

CONFERÊNCIA

 

Ferreira relata que uma equipe da Semma es­teve participando de uma conferência em Maceió, Alagoas, em 2013, quando observou-se que muitos estados brasileiros que não realizaram a preven­ção em anos anteriores estão sofrendo com a fal­ta de água. “Experiências obtidas neste encontro foram trazidas para Santo Ângelo”, revela.

 

Ferreira cita dois es­tados da Região Sudeste: São Paulo e Rio de Janei­ro que tiveram que adotar o racionamento de água. “São estados que possuem recursos hídricos bem su­periores à região noroeste do RS, porém sofrem com a falta de investimentos e descuidos com o meio ambiente”, compara.

 

O projeto da Semma prioriza medidas preven­tivas no sistema de abas­tecimento de água e cui­dados com a preservação ambiental, “para que no futuro não venhamos a sofrer o desabastecimen­to deste precioso líquido”, adianta.

 

Foto: Danton Mousquer/AT

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar