Doses contra a aftosa começam a serdistribuídas aos vacinadores comunitários


 

As doses contra a febre aftosa co­meçam hoje, 30, a serem distribuídas aos vacina­dores comunitários em Santo Ângelo que traba­lharão durante a primei­ra etapa de imunização no interior do município que inicia neste dia 1º de maio.

 

Até ontem, a Inspeto­ria de Defesa Agropecu­ária (IDA) assim como a 17ª Supervisão Regional da Secretaria da Agricul­tura, Pecuária e Agro­negócio (Seapa) do RS, sediada em São Luiz Gon­zaga e com abrangência em 28 municípios, não havia recebido comunica­do do governo do Estado de quando chegaria o pri­meiro lote de vacinas que serão entregues aos pro­dutores enquadrados nas linhas do Pronaf.

 

Porém, nesta fase da campanha quando deve­rão ser vacinados bovi­nos e bubalinos de todas as idades, o número de doses a serem repassa­das para os pecuaristas familiares será reduzida a apenas 30 unidades em vez de 100 a exemplo de etapas anteriores.

 

O chefe da Inspetoria, veterinário Juarez Dalla Corte, esclarece que o ór­gão já conta com um esto­que de aproximadamente três mil doses de reserva que sobraram da segunda etapa da campanha de­senvolvida em novembro do ano passado. “Por isso, é que a Inspetoria deverá distribuir as primeiras va­cinas a partir de hoje e no dia 1º de maio”, justifica.

 

ALERTA

 

Ele adianta que nesta etapa da imunização do gado geral contra a af­tosa atuarão novamente 16 vacinadores comuni­tários. A expectativa de Juarez é que a Inspetoria receba de dez mil a 12 mil doses.

 

Juarez acredita que mesmo com a dimunição de 100 para 30 doses a serem distribuídas para os criadores de bovinos cadastrados nas normas do Pronaf não deverá comprometer a cobertu­ra vacinal da campanha. “Quem não imunizar os animais e não comprovar a vacinação, será mul­tado. E mesmo fora do período da campanha, o produtor inadimplente terá que aplicar a vacina”, alerta o veterinário.

 

Os produtores que possuírem mais de 30 animais terão que com­prar as vacinas nas lojas agropecuárias credencia­das pela Seapa, cujo valor médio por dose praticado no mercado gira em torno de R$ 1,70 a R$ 1,80.

 

Um produtor que vai imunizar 50 reses terá um custo de R$ 90,00, em mé­dia.

A população alvo ani­mal de todas as idades no município é formada por 24 a 25 mil bovinos e bu­balinos.

 

CUIDADOS

 

A Seapa recomenda que deve se ter cuidados em relação à conservação das doses.

Nem sempre um refri­gerador caseiro consegue manter. As doses contra a febre aftosa co­meçam hoje, 30, a serem distribuídas aos vacina­dores comunitários em Santo Ângelo que traba­lharão durante a primei­ra etapa de imunização no interior do município que inicia neste dia 1º de maio.

 

Até ontem, a Inspeto­ria de Defesa Agropecu­ária (IDA) assim como a 17ª Supervisão Regional da Secretaria da Agricul­tura, Pecuária e Agro­negócio (Seapa) do RS, sediada em São Luiz Gon­zaga e com abrangência em 28 municípios, não havia recebido comunica­do do governo do Estado de quando chegaria o pri­meiro lote de vacinas que serão entregues aos pro­dutores enquadrados nas linhas do Pronaf.

 

Porém, nesta fase da campanha quando deve­rão ser vacinados bovi­nos e bubalinos de todas as idades, o número de doses a serem repassa­das para os pecuaristas familiares será reduzida a apenas 30 unidades em vez de 100 a exemplo de etapas anteriores.

 

O chefe da Inspetoria, veterinário Juarez Dalla Corte, esclarece que o ór­gão já conta com um esto­que de aproximadamente três mil doses de reserva que sobraram da segunda etapa da campanha de­senvolvida em novembro do ano passado. “Por isso, é que a Inspetoria deverá distribuir as primeiras va­cinas a partir de hoje e no dia 1º de maio”, justifica.

 

ALERTA

 

Ele adianta que nesta etapa da imunização do gado geral contra a af­tosa atuarão novamente 16 vacinadores comuni­tários. A expectativa de Juarez é que a Inspetoria receba de dez mil a 12 mil doses.

 

Juarez acredita que mesmo com a dimunição de 100 para 30 doses a serem distribuídas para os criadores de bovinos cadastrados nas normas do Pronaf não deverá comprometer a cobertu­ra vacinal da campanha. “Quem não imunizar os animais e não comprovar a vacinação, será mul­tado. E mesmo fora do período da campanha, o produtor inadimplente terá que aplicar a vacina”, alerta o veterinário.

 

Os produtores que possuírem mais de 30 animais terão que com­prar as vacinas nas lojas agropecuárias credencia­das pela Seapa, cujo valor médio por dose praticado no mercado gira em torno de R$ 1,70 a R$ 1,80.

 

Um produtor que vai imunizar 50 reses terá um custo de R$ 90,00, em mé­dia.

A população alvo ani­mal de todas as idades no município é formada por 24 a 25 mil bovinos e bu­balinos.

 

CUIDADOS

 

A Seapa recomenda que deve se ter cuidados em relação à conservação das doses. Nem sempre um refri­gerador caseiro consegue manter a temperatura constante, podendo cau­sar danos à eficácia da vacina. A Secretaria entende que é importante aplicar a vacina tão logo chegue à propriedade após a sua aquisição ou seu recebi­mento gratuito.

 

Para o órgão governa­mental, a criação de ani­mais não deixa de ser um negócio e precisa receber investimentos para um bom retorno. A vacinação é um dos cuidados que o produtor precisa ter para garantir a sanidade do re­banho, uma vez que o Rio Grande do Sul é conside­rada uma zona livre da af­tosa desde 2001.

 

A Secretaria entende que é importante aplicar a vacina tão logo chegue à propriedade após a sua aquisição ou seu recebi­mento gratuito. Para o órgão governa­mental, a criação de ani­mais não deixa de ser um negócio e precisa receber investimentos para um bom retorno. A vacinação é um dos cuidados que o produtor precisa ter para garantir a sanidade do re­banho, uma vez que o Rio Grande do Sul é conside­rada uma zona livre da af­tosa desde 2001.

 

Foto: Banco de Dados/AT

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar