Febre Aftosa: Primeira etapa da campanha terá 16 vacinadores


 

Em reunião extraor­dinária do Conse­lho Municipal de Desen­volvimento Agropecuário (Comdasa) de Santo Ân­gelo presidida por Sônia de Lemos Contri e se­cretariada pela veteriná­ria Emília Stehmann, da Secretaria da Agricultura realizada nesta quarta-feira, 22, no auditório da sede do Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR) ficou definido que a primeira etapa da campa­nha de imunização contra a febre aftosa em bovi­nos e bubalinos de todas as idades que ocorrerá no período de 1º a 31 de maio contará com 16 va­cinadores comunitários, a exemplo de fases ante­riores.

 

O chefe da Inspetoria de Defesa Agropecuária (IDA), veterinário Juarez Dalla Corte, que se fez presente no encontro que reuniu ainda donos de agroindústrias, agriculto­res e conselheiros, anun­ciou que a expectativa é receber mais um reforço de dez a 12 mil doses, cuja chegada está prevista para até o final deste mês.

 


 

Ele destaca a impor­tância do papel assumido pelos vacinadores comu­nitários que auxiliam os produtores na aplicação das doses, fazendo com que a cobertura vacinal venha atingindo 100% pelo menos nas últimas quatro etapas consecuti­vas da campanha. “Se evi­ta assim o desperdício das doses”, comenta.

 

Ele acredita que será reduzido o contingente de produtores beneficiados com doses gratuitas. A Secretaria da Agricultura, Pecuária e Agronegócio (Seapa) do RS determinou que somente receberão as vacinas quem tiver reba­nho com até 30 animais por unidade familiar.

 

Quem tiver mais de 30 cabeças de gado se­rão obrigados a adquirir as doses nas lojas agro­pecuárias credenciadas pela Seapa e entregar a nota fiscal alusiva à com­pra das vacinas até a fi­nalização da campanha. Juarez recorda que a IDA tem ainda um estoque de aproximadamente três mil doses procedentes da última etapa da campa­nha em novembro do ano passado quando foram imunizados animais de zero até dois anos.

 

PROJETO DE LEI

 

Outro assunto em pauta no encontro do Conselho foi o projeto de lei municipal de incen­tivo às agroindústrias, de autoria do vereador Diomar Lino Formenton (PT). Conforme ele, hoje no interior do município são 22 unidades agroin­dústrias organizadas.

 

Formenton esclare­ce que o incentivo que é objeto da presente lei po­derá ocorrer mediante o repasse de auxílio finan­ceiro para aquisição de materiais de construção, máquinas e equipamen­tos, utensílios, insumos e outros objetos necessá­rios à produção agroin­dustrial, bem como doa­ção e transporte gratuito de até 50 cargas de aterro.

 

É um trabalho que vem sendo feito através de uma parceria da Câ­mara de Vereadores com o STR, Secretaria Municipal da Agricultura, Emater, Comdasa e a 12ª Coorde­nadoria Regional de Saú­de (CRS) em relação às agroindústrias de origem vegetal.

 

“E com a Resolução 49, vai permitir a confecção dos produtos nas residên­cias dos agricultores, uma vez que se trata de um processo mais simplifica­do”, justifica o parlamen­tar.

 

Foto: Danton Mousquer/AT

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar