Associativismo, o ponto de partida para o sucesso da agricultura familiar


 

O Associativismo na zona rural é o ponto de partida para o sucesso das pequenas propriedades”. A definição foi feita pelo assistente técnico da Emater Regional San­ta Rosa, Flávio Fagonde, durante seminário que tratou do tema realizado ontem pela manhã, no galpão crioulo do Grupo de Tradições Folclóricas (GTF) Coronel Aparício Borges situado no Parque Municipal de Exposições Siegfried Ritter, em Santo Ângelo.

 

O evento que reuniu um público estimado em cerca de 70 agriculto­res foi promovido pela Emater de Santo Ânge­lo, Secretaria Municipal da Agricultura, Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR) e Conselho Munici­pal de Desenvolvimento Agropecuário (Comdasa).

 

No encontro, Fagonde aproveitou a oportunida­de para ouvir dos produ­tores rurais quais seriam as suas principais neces­sidades para criar assim o foco para implantação de mais associações no futuro.

 

Dados divulgados por ele apontam que nos 45 municípios da área de atuação da Emater Re­gional são mais de 8 mil associações organizadas. “Há agricultores na região noroeste que par­ticipam mais de uma as­sociação”, relata. “Fica muito difícil estimar o contingente de famílias rurais organizadas neste processo”, justifica.

 

ORGANIZAÇÃO

 

Para ele, o associati­vismo é a base para orga­nização dos agricultores familiares tanto para seus momentos de lazer quan­to para as atividades pro­dutivas. Ele exemplifica que na região há associa­ções ligadas ao segmento de máquinas que funcio­nam há mais de 25 anos.

 

“O fundamento bási­co do associativismo é o diálogo entre os agricul­tores, debatendo seus in­teresses e suas necessida­des”, acrescenta Fagonde. “Os produtores não conseguem sozinho re­solver seus problemas e sim coletivamente”, de­fende o assistente técnico da Emater.

 

A proposta da Emater, afirma, é ajudar a cons­truir o diálogo entre as famílias rurais assistidas pelo órgão e organizar as comunidades, construin­do inicialmente grupos informais. E posterior­mente, criar as associa­ções, cuja foco está nas propriedades.

 

“É preciso uma conju­gação de esforços, desde que o seu planejamento seja realizado com inte­ligência”, ressalta Fagon­de.

 

CHAMADA PÚBLICA

 

De acordo com o se­cretário municipal de Agricultura, Vander Mo­reira da Rosa, a finalidade do Seminário é discutir o associativismo e so­cializar os resultados da Chamada Pública da Sus­tentabilidade para com a comunidade.

 

“Este encontro foi elaborado pela secretaria municipal de Agricultura, junto com a Emater, Sin­dicato dos Trabalhadores Rurais, Comdasa e Fetag, com o objetivo de fazer parte dentro da Semana de Aniversário do muni­cípio de Santo Ângelo, e aproveitamos o fato que a Emater tem uma cha­mada pública para trazer os produtores para este local e fazer um seminá­rio onde foram abordados diversos temas como, por exemplo, o apresentado por nossa secretaria que foi a organização de asso­ciações”, disse.

 

PALESTRAS

 

O evento iniciou com a apresentação de resul­tados da Chamada Pú­blica Sustentabilidade, ministrada pelo chefe do escritório da Emater de Santo Ângelo, Álvaro Ug­geri.

 

Em seguida, repre­sentando a secretaria municipal de Agricultura, o palestrante Pedro Paulo Scolari Pillon explanou sobre a “Organização de Associações”. Com o tema sobre a “Importância do Movimento Sindical”, sob a coordenação do Sindi­cato dos Trabalhadores Rurais. Encerrando o tur­no da manhã, a Emater de Santa Rosa coordenou a palestra sobre “Potencial do Associativismo nos Sistemas Produtivos”. A programação continuou no turno da tarde, com a palestra sobre “Direi­tos Previdenciários na Agroindústria Familiar”, ministrada pela secretá­ria geral da Fetag, Elisete Hintz.

 

Foto: Danton Mousquer/AT

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar