Preço médio das terras no Brasil teve valorização acima de 300% nos últimos anos


 

Estudo realizado pela Assessoria de Gestão Es­tratégica do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (AGE/Mapa), em conjunto com pesquisador da Universida­de de Brasília, aponta uma valorização média de 308% entre 2002 e 2013. Em termos comparati­vos, a taxa de inflação dada pelo IGP-DI da Fundação Getúlio Vargas (FGV), foi de 121,9% no mesmo pe­ríodo.

 

BENS EXISTENTES

 

A terra representa no Brasil 70,5% do valor dos bens existentes nos esta­belecimentos agropecuá­rios. Os demais valores são distribuídos em prédios, instalações e benfeitorias, lavouras permanentes e temporárias, matas e ou­tros bens, como veículos, máquinas e animais.

 

PRODUTIVIDADE E PREÇO

 

O estudo concluiu que a produtividade agrícola tem forte correlação com o preço de terras de lavou­ras e de pastagem. Assim, o aumento da produtividade agrícola pode estimular a demanda de terra, como também arrefecer uma eventual pressão sobre o aumento do preço.

 

Os preços dos produtos agrícolas, expressos pela relação de trocas da agri­cultura também forçaram a tendência crescente dos preços de terras de lavou­ras e de pastagens.

 

CRÉDITO RURAL

 

Por fim, o crédito rural, especialmente o de inves­timento tem sido um dos fatores que têm contribu­ído para a valorização de terras no Brasil. O estímulo ao crédito de investimento através de programas e políticas es­pecíficas foi essencial para a elevação do preço de ter­ras e para sua valorização.

 

Foto: BD

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar