Cerca de 20 atendimentos deixaram de ser prestados pelo Conselho Tutelar


 

Em virtude da para­lisação das ativida­des do Conselho Tutelar dos Direitos da Criança e do Adolescente ocorrida ontem em nível nacional, cerca de 20 atendimentos apenas na sede do órgão santo-angelense que fun­ciona na avenida Getúlio Vargas, centro da cidade, deixaram de ser prestados ao público, com exceção do serviço de plantão.

 

A estimativa foi divul­gada nesta quinta-feira, 12, pelo coordenador da instituição, Fábio Ávila da Silva, o Fabinho. Con­forme Fabinho, ele e mais as conselheiras Cláudia Bueno e Marlene Macha­do não prestaram atendi­mento à população que se encaminhou ao local para efetuar registros de ocor­rências envolvendo crian­ças ou adolescentes.

 

Ele justifica que o mo­vimento foi desencadeado em protesto ao assassina­to de três conselheiros na cidade de Poção, em Per­nambuco, crime este ocor­rido na última sexta-feira, dia 6.

 

PREOCUPAÇÃO

 

Em função deste triplo homicídio registrado em uma cidade pernambu­cana, cuja cultura é bem diferente do povo gaúcho, a preocupação dos conse­lheiros é que sua jornada diária de trabalho é exer­cida sem proteção. “No entanto, não che­ga a ser um clima de inse­gurança”, frisa.

 

Ele adianta que os ser­vidores do Conselho Tu­telar não interferem nos conflitos que acontecem nas famílias, uma vez que encaminham as partes para o Ministério Público (MP) ou solicita a presen­ça da Brigada Militar.

 

Principais ocorrências de 2014

 

Fato Atendimentos

 

Alcoolismo 59

Drogadição 87

Desobediência familiar 61

Fuga do lar 97

Conflito sócio-familiar 219

Maus tratos 125

Mendicância 14

Negligência 114

Prostituição 33

Bullyng 54

Trabalho infantil 34

Tentativa de homicídio 14

 

Foto: Danton Mousquer/AT

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar