Operação Hermes reduz em 60% número de mortes na BR 285

 

 

Um balanço apresentado nessa semana pela Polícia Rodoviária Federal mostra que no primeiro mês da Operação Hermes, que coloca dois radares em sequência para flagrar excesso de velocidade, aumentou em 150% o número de autuações no Estado. Os dados repassados também apontam redução em 10% o número de mortes nas rodovias gaúchas.

 

Na área de abrangência da 10ª Delegacia da Polícia Rodoviária Federal de Ijuí, a redução do número de mortes chegou a mais de 60%, conforme explica o chefe do núcleo de policiamento e fiscalização, Vilmar Keske. O policial rodoviário conta que de 18 de agosto a 14 de setembro de 2013 foram 37 acidentes, com 42 pessoas feridas e 8 mortes. Já em 2014, neste mesmo período, foram registrados 29 acidentes, com 27 feridos e 3 mortes. “É uma redução expressiva do número de acidentes e vítimas fatais. Isso demonstra a importância do trabalho de fiscalização desenvolvido na BR 285”, destaca.

 

 

OPERAÇÃO HERMES

 

Vilmar Keske traz outro dado importante que evidencia os reflexos positivos da Operação Hermes na redução do número de registros de acidentes em um trecho de 649 km da rodovia que abrange nove municípios (a partir de Santa Bárbara do Sul até São Luiz Gonzaga). “De 1º de janeiro até o dia 17 de agosto deste ano foram 47 mortes, perfazendo uma média de seis mortes ao mês. Neste primeiro mês, com a Operação Hermes, registramos três mortes”, conta.

 

 

FISCALIZAÇÃO

 

O chefe do Núcleo de Policiamento da PRF de Ijuí, Vilmar Keske, lamenta que a redução do número de acidentes e de mortes somente acontece pelo rigor da fiscalização. “Infelizmente as pessoas não se conscientizam sobre os cuidados necessários nas rodovias, evitando o excesso de velocidade, ultrapassagem perigosa e embriaguez ao volante. Na maioria das vezes, os condutores cumprem as regras de segurança em decorrência das penalidades. Não é algo espontâneo”, salienta.

 

Keske conta que nesse período foram flagrado vários veículos em alta velocidade, mas que os números gerais estão incluídos na soma geral da Operação Hermes no Estado. Ele conta que foram registrados vários casos de veículos em alta velocidade em trecho onde era permitido apenas 80 km/h.

 

O policial cita como exemplos os casos de um automóvel flagrado pelo radar a mais de 154 km/h e uma carreta a mais de 115 km. Segundo Keske, o maior número de infrações deve-se a ultrapassagem perigosa e na sequência excesso de velocidade, embriaguez ao volante e outras irregularidades.

 

 

Foto: Banco de dados/AT

 

 

 

 

 

 

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar