Samu do RS receberá treinamento para atender a casos de ebola

 

Ainda que não haja sinais da chegada do vírus ebola no Estado, profissionais de saúde do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) de Porto Alegre já passam por treinamento para lidar com um possível caso em solo gaúcho.

 

Um macacão branco sintético, óculos especial, máscara e um escudo facial são alguns dos elementos com que médicos, enfermeiros e motoristas Samu vão se familiarizar nas próximas semanas. O kit lembra equipamentos espaciais, mas é a principal garantia de segurança dos profissionais contra uma doença que, até meses atrás, parecia ser mesmo de outro mundo.

 

A epidemia, por ora, se concentra na Libéria, Guiné e Serra Leoa. Mas um alerta da Organização Mundial da Saúde, repassado ao Samu pelo Ministério da Saúde, exige que todos os países estejam preparados para lidar com possíveis casos — até agora, o surto já matou mais de mil pessoas na África.

 

Segundo o coordenador médico do Samu Porto Alegre, Rogério André Salami, o serviço já conta com pelo menos duas equipes habilitadas a realizar o procedimento de remoção de possíveis pacientes. Eles serão encaminhados ao Hospital Conceição, indicado pelo Ministério da Saúde como referência para o tratamento de possíveis casos de ebola no Estado.

 

 

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar