Festa vira argumento para liberação

 

O Inter quer jogar o Gre-Nal 401 em casa. Mas, para que o Beira-Rio seja liberado para o clássico que decide o título gaúcho, no domingo, 13, o clube terá que aguardar. Ainda há pendências a serem resolvidas, principalmente com os órgãos de segurança.

 

CAUTELA


O presidente Giovanni Luigi adota cautela no assunto. Pondera, porém, que os eventos que marcaram a reinauguração oficial do estádio ajudam a pensar positivo. A festa ‘Os Protagonistas’ e o amistoso diante do Peñarol, vencido por 2 a 1, ocorreram sem grandes problemas.

 


“Ainda não (está certo). Faltam detalhes, dependemos de algumas questões, de autoridade, do PPCI, Ministério úublico, avaliação do entorno. A legislação mudou. Mas, felizmente, o que aconteceu ontem (sábado) e hoje (domingo), nos remete a poder atuar no Gre-Nal aqui”.

 


O vice de futebol, Marcelo Medeiros, vai além. Embora também não confirme a partida no Beira-Rio, aponta que não há motivos para que o Inter seja impedido de mandar o clássico em casa:
“ Não tenho nenhuma informação que me leve a pensar que esse jogo não possa ser aqui. Depois de todo esse festival de inauguração, o jogo, a festa, com a chegada ordeira da torcida. Porto Alegre está de parabéns por ter um palco para se praticar e trabalhar com futebol. Todos nós queremos jogar aqui a final do Gauchão. Se depender do Inter, a final será no Beira-Rio”, avalia.

 


O primeiro Gre-Nal da decisão foi vencido por 2 a 1 pelo Inter, na Arena. Com isso, o Colorado pode até perder por 1 a 0. A partida está marcada para as 16h do próximo domingo. A aguardar o local.

 

Foto: Alexandre Lopes/Inter

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar