Desfalcado, Inter treina com portões fechados e aumenta o mistério

 

Se durante todo o ano o técnico Abel Braga fechou a maioria dos treinos do Internacional, não seria na última rodada do Campeonato Brasileiro que o procedimento mudaria. Cheio de problemas para montar o Colorado, que enfrenta o Figueirense no próximo sábado, Abelão aumentou o mistério ao impedir o acesso da imprensa e torcedores ao Beira-Rio. Na prática, porém, as dúvidas não são muitas.

 

Não poderão atuar em Florianópolis (SC) os suspensos Gilberto, Fabrício e D’Alessandro, além dos lesionados Jorge Henrique, Alan Patrick e Nilmar. A tendência indica que joguem Wellington Silva, Alan Ruschel, Valdívia, Taiberson e Rafael Moura. Isso se o treinador não optar por alguma mudança de esquema, como um time com três zagueiros ou dois atacantes.

 

Para garantir a vaga direta na fase de grupos e escapar do chamado "grupo da morte" da Libertadores do ano que vem, o Inter precisa derrotar o Figueirense na capital catarinense, ou fazer na última rodada o mesmo número de pontos que o Corinthians, que receberá em sua arena o lanterna Criciúma. Terceiro colocado, com 66 pontos, o time gaúcho trata o confronto deste fim de semana com imenso cuidado.

 

"Nós sabemos que uma vitória será de extrema importância. Como nós viemos de um ano desgastante, nos daria um pouco mais de folga", comentou o lateral esquerdo Alan Ruschel, que deve ser titular neste sábado, já que Fabrício está suspenso. O time neste final de semana deve ter Alisson; Wellington Silva, Ernando, Alan Costa e Alan Ruschel; Willians, Aránguiz, Alex, Valdívia e Taiberson; Rafael Moura.

 

Foto: Divulgação

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar